Engordar pode causar disfunção sexual no homem?

O aumento da infertilidade masculina é diretamente proporcional à obesidade. A cada 9 kg acima do peso, aumenta-se em 10% a tendência à infertilidade.

Os últimos 40 anos foram marcados por uma elevação da obesidade em todo o mundo, de forma que dados atuais chegam a um número de 700 milhões de obesos. No sexo masculino, a proporção praticamente triplicou (17,5%). Dentre todas as comorbidades que vêm com a obesidade, não podemos achar menos relevante a infertilidade e impotência masculina, muito menos tratá-la como tabu.

Obesidade, impotência e infertilidade

A infertilidade, problema que afeta um em cada 13 casais, caracteriza-se pela ausência de concepção após um ano de relação sexual sem proteção. É importante notar que o aumento da infertilidade masculina é diretamente proporcional à obesidade, uma vez que a cada nove quilos acima do peso, aumenta-se em 10% a tendência à infertilidade. Em razão disso, estima-se que 80 milhões de indivíduos obesos do sexo masculino possuem esse problema. Além disso, conforme um levantamento realizado, o homem é o responsável pela infertilidade em 30% dos casais.

O paciente obeso apresenta queda da libido, dificuldade de ereção, piora no desempenho sexual, diminuição do tamanho testicular, bem como baixa contagem de espermatozoides no sêmen e deterioração em sua qualidade. Baixos níveis plasmáticos de testosterona e pouca resposta terapêutica a estimulantes sexuais também são elementos notáveis nesses indivíduos.

Estudos mostram que homens com IMC maior que 30 kg/m² têm menor concentração seminal e os com circunferência abdominal acima de 94 centímetros, maior dificuldade de ereção.

A obesidade, quando associada a outras condições, pode agravar a infertilidade e impotência. São exemplos dessas condições o diabetes tipo 2, hipertensão arterial, apneia obstrutiva do sono, tabagismo, câncer e dislipidemia.

O quadro de obesidade, infertilidade e impotência impacta negativamente a autoestima, o bem-estar emocional e social, além da qualidade de vida. Isso pode favorecer o aparecimento de quadros depressivos, os quais podem gerar um aumento ainda maior no peso.

Mas como o excesso de peso causa todas essas alterações no corpo?

Os obesos têm mais problemas vasculares, o que pode reduzir o fluxo de sangue para o pênis, fluxo este que sustenta a ereção. Ressalte-se ainda que esses pacientes também apresentam menores níveis de testosterona (hormônio masculino) e maior produção pelo tecido adiposo de estradiol (hormônio feminino). Esse desbalanço hormonal é proporcionado pelo aumento do número de células adiposas, elevação dos níveis de insulina, diminuição da relação FSH/LH , diminuição da inibina (proteína produzida pelas células de sertoli no testículo) e diminuição dos níveis de SHBG (proteína produzida pelo fígado que é carreadora da testosterona).

Em suma, todo o eixo responsável pela produção de testosterona e espermatozoides entra em colapso devido às alterações causadas pelo excesso de gordura corporal.

Muitos acreditam que apenas com a reposição de testosterona é possível resolver o problema. No entanto, ela não funciona como medicamento para o tratamento da obesidade, além de não ser eficaz em combater as queixas em grande parte dos casos.

A boa notícia é que as modificações são reversíveis mediante controle do peso, diminuição da gordura abdominal e melhora no estilo de vida.
Referências: Cent European J Urol. 2015; 68(1): 79–85


Fonte: VEJA
A.M

Outras Notícias

Moradores abrem lençol e salvam cadela que caiu de sacada de apartamento em Goiânia

Dono tinha acabado de sair do prédio e diz que cachorra ficou desesperada com os fogos de artifício. Ele se emocionou...

Mega-sena sai para 17 apostas

Cada aposta leva cerca de R$ 18 milhões A Caixa Econômica Federal realizou na noite deste domingo (31) o sorteio ...

CASCAVEL - Chopp é servido em velório: 'ele não queria choro ou tristeza'

Fato tem chamado a atenção nas redes sociais e ocorreu no velório do 'mestre do automobilismo' João Ferrari. Têm ...

Nova lei prevê prisão de 5 a 8 anos a quem dirigir bêbado?

Desde a semana passada, quando o presidente Michel Temer (PMDB) sancionou a lei que endurece penas a motoristas alcoo...