Para Dresch, caso BRF tem como foco prejudicar a economia do Brasil

"As irregularidades precisam ser apuradas e os responsáveis punidos, mas nenhum país do mundo promove a destruição da sua economia, das empresas e do emprego. A ação espetaculosa da polícia federal beneficia exclusivamente os Estados Unidos", afirmou o deputado estadual Dirceu Dresch (PT) ao criticar na tribuna do Legislativo a nova ação da operação Carne Fraca da Polícia Federal, que teve como alvo a empresa BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão. Ele afirmou estar preocupado com as consequências para a cadeia produtiva da carne catarinense, em especial, a agricultura familiar.



Para o deputado, a ação é reflexo do processo que culminou no impeachment da presidenta Dilma Rousseff e que teve a articulação dos Estados Unidos, visando enfraquecer a economia do Brasil. "É o golpe a serviço do capital internacional. O Brasil se destaca no mercado mundial de carnes como maior exportador mundial. Tínhamos a Petrobras com tecnologia única no mundo, que possibilitou a descoberta e exploração do pré-sal, e construtoras de grande envergadura executando grandes obras em outros países. Isso incomodava muita gente. O juiz Sergio Moro foi aos Estados Unidos, aprendeu estratégias para operar por meio do Judiciário e com apoio da mídia a aniquilar esses setores que estavam fazendo o Brasil brilhar no mundo. Uma estratégia que permeia o judiciário, o sistema financeiro e político e que está permitindo a destruição de empresas, de empregos e da economia do país".



Ele citou o caso do Poder Judiciário da Alemanha, na apuração de crimes cometidos pelas gigantes multinacionais: Siemens e Volkswagen. "Alguém viu a Justiça da Alemanha perseguir e destruir a Volkswagen pela fraude na emissão de gases de seus veículos? Ou promover a difamação da Siemens pelos casos de corrupção em licitações? Não, a justiça daquele país puniu os executivos responsáveis, sem estardalhaço irresponsável. No Brasil, a Polícia Federal e a mídia condenam antes dos fatos serem devidamente apurados e julgados".



Complexo de vira-lata - Desch criticou os que defendem a submissão do Brasil perante as outras nações. “É complexo de vira-lata: se eu não posso ser grande, chego junto de um grande e penso que sou grande. É triste ver esse pensamento predominar dentro de setores da sociedade. Temos hoje um presidente do Brasil que é um boneco na mão do capital internacional. É rechaçado pelo povo com menos de 4% de aprovação, mas é o presidente dos sonhos dos Estados Unidos, deste grupo que quer sugar da América Latina o sangue, o suor e as riquezas que temos aqui.”



Assessoria de Imprensa

Deputado Estadual Dirceu Dresch - Líder do PT na Alesc

Outras Notícias

Bombeiros registraram capotagem de veículo durante a madrugada no interior de Capinzal

O Corpo de Bombeiros de Capinzal foi acionado para atender um acidente de trânsito na SC 390, no interior de Capinzal...

Ministério Público pede afastamento de motorista da prefeitura de Piratuba por suposto assédio sexual

O Ministério Público da comarca, através da ação civil pública ingressada no dia 11 de junho, solicitou em caráter de...

Estado confirma dois casos de Gripe A na região

A Secretaria de Estado da Saúde, através da DIVE – Diretoria de Vigilância Epidemiológica – confirmou dois casos de i...

Acracom realiza entrega de veículo ao ganhador da ação entre amigos

Foi entregue ontem (14/06) em Campos Novos, o primeiro prêmio, referente a ação entre amigos, realizada pela Acracom,...