Eleições: Temer desiste de concorrer e anunciará Meirelles

O presidente Michel Temer anunciará nesta terça-feira, em evento do MDB, sua decisão de não concorrer à Presidência da República, e apresentará o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como o candidato do partido, disse à Reuters uma alta fonte do governo.

Temer já vinha dando indicações de que teria desistido da ideia de se apresentar como candidato, mas, apesar da pressão da bancada parlamentar do MDB, que queria uma solução rápida para a questão, parte de seu círculo mais próximo ainda queria que o presidente esperasse para tomar uma decisão.

De acordo com uma segunda fonte ouvida pela Reuters, havia uma esperança de que a campanha pela comemoração dos dois anos de governo trouxesse algum fôlego a Temer nas pesquisas eleitorais.

O presidente, no entanto, decidiu não esperar e irá fazer o anúncio durante o encontro de apresentação do documento "Caminho para o Futuro", uma plataforma de governo do MDB que será apresentada na manhã desta terça-feira em Brasília, de acordo com a primeira fonte.

Nas pesquisas eleitorais mais recentes, Temer aparece com no máximo 2 por cento das intenções de voto. Meirelles tem 1 por cento, mas rejeição menor que a do presidente. Segundo levantamento Datafolha de abril, 64 por cento dos eleitores não votariam em Temer de jeito nenhum, enquanto a rejeição ao ex-ministro é de 17 por cento.

Apesar da baixa intenção de voto nas pesquisas, Meirelles vem afirmando que o potencial de crescimento de sua candidatura é "enorme", porque, de acordo com o ex-ministro, ele é pouco conhecido e, entre os que o conhecem, seu percentual de voto é "muito alto".

Nas últimas semanas o presidente passou a levar Meirelles para eventos públicos, como cerimônia de entrega de residências populares, e fez elogios públicos ao ex-ministro, dando a indicação de que ele seria o candidato presidencial do MDB.

Meirelles se filiou ao partido no início de abril, deixando o comando do Ministério da Fazenda, com a expectativa de se lançar como concorrente ao Planalto. O ex-ministro vinha aguardando a decisão de Temer sobre concorrer ou não, reconhecendo que o presidente tinha prioridade.

Em entrevista recente à Reuters, o ex-ministro apontou que aposta na economia como solução para os problemas do Brasil, inclusive a radicalização que divide o país, e que se vê como um candidato que pode conversar com todos os lados, da direita à esquerda.

Foto e informações: Reuters

Fonte: TERRA
A.M

Outras Notícias

Temer é o presidente mais impopular da história, aponta Datafolha

O governo de Michel Temer é considerado ruim ou péssimo por 82% dos brasileiros, de acordo com a pesquisa Datafolha, ...

Data folha: Lula tem 30% das intenções de voto, Bolsonaro 17% e Marina 10%

O Instituto Datafolha divulgou, nas primeiras horas deste domingo (10), uma pesquisa com indíces de intenção de voto ...

Projeto visa antecipação de férias para trabalhador que será pai

A deputada federal Geovania de Sá (PSDB) protocolou nesta semana projeto de lei que acrescenta dispositivo à Consolid...

Eleitor e ex-candidato a prefeito são condenados por compra de voto em Ponte Serrada

O juiz da comarca de Ponte Serrada, Luciano Fernandes da Silva, proferiu nesta sexta-feira, dia 18, uma sentença cond...