Santa Catarina mantém menor taxa de pobreza do país, aponta IBGE

Santa Catarina continua com o menor percentual de pobreza do país e ainda conseguiu reduzir o índice de 9,4% para 8,5% no último ano. Os dados, que colocam o Estado em uma posição privilegiada dentro do Brasil, constam na Síntese dos Indicadores Sociais, pesquisa de periodicidade anual divulgada nesta quarta-feira, 05, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A situação de Santa Catarina é ainda mais confortável quando comparada com a média nacional de pobreza, atualmente na faixa dos 26,5%.

A secretária de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Romanna Remor, diz que a ação em conjunto com os 295 municípios é um dos principais fatores para que os índices catarinenses de pobreza estejam em queda, na contramão do que ocorre na maior parte do país. Ela ressalta ainda o trabalho de acompanhamento feito pelo Estado para garantir que a aplicação de recursos para a assistência social seja certeira e permita que uma situação de pobreza momentânea não se prolongue.

“Paralelo a isso, promovemos também a inserção no mercado de trabalho. Nosso Estado é campeão na geração de vagas de emprego e na recolocação de pessoas no mercado. Além da parceria com os municípios, também fazemos a compilação de dados por meio de business inteligence, com o apoio do Ministério Público, para que os recursos do Estado sejam utilizados de forma mais eficaz e os índices continuem a cair”, diz Romanna.

Avaliação semelhante também é feita pelo secretário Adenilso Biasus, responsável pelo Desenvolvimento Econômico Sustentável. Segundo ele, a diversidade econômica do Estado, com equilíbrio entre todas as regiões, permite que o acesso ao emprego e renda seja superior em Santa Catarina, na comparação com os demais Estados. Além disso, Biasus salienta a atuação do Executivo como um indutor do desenvolvimento e cita programas que facilitam a vida do investidor, como PRODEC e o Juro Zero, que fornece até R$ 3 mil sem juros para microempreendedores.

“O que eu mais escuto é que aqui o Estado ajuda, ao invés de atrapalhar. Nosso trabalho também é facilitado pela diversidade cultural e o desenvolvimento equilibrado de Santa Catarina. Isso tudo gera um ciclo virtuoso, que fará com esse índice de pobreza seja ainda menor no ano que vem”, aposta o secretário.

Parâmetro

O IBGE considera pobre o cidadão que more em uma casa cuja renda per capita seja inferior a US$ 5,50 por dia, o equivalente a R$ 21,30 na cotação atual.


Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom

Outras Notícias

Concurso de Redação do Consórcio Machadinho recebe os primeiros textos

As primeiras redações da 13º edição do Concurso de Redação do Consórcio Machadinho já foram recebidas. A Escola Munic...

Edição do Prefis 2019 não terá prorrogação e é a última dos próximos quatro anos

Os contribuintes com débito em atraso com o Estado de Santa Catarina têm até o dia 28 de junho para aderir ao Program...

Fininho é o novo técnico da AEP Termas de Piratuba Futsal

O ex-jogador de Futsal, Paulo Sérgio Lira Goés, conhecido como Fininho, é o novo treinador da AEP Termas de Piratuba ...

Profissionais da saúde recebem treinamento sobre dengue em Piratuba

Febre alta de início inesperado, seguido de cefaleia, náuseas, vômitos, além de dores abdominais. Estes são os primei...