Presidente do PSL de Piratuba anuncia que vai deixar o partido

O atual presidente do PSL de Piratuba, Ronaldo Amora, anunciou nesta semana que vai deixar o cargo e também o partido. Segundo ele a decisão foi tomada após divergências com o vice-presidente da sigla no município, Marcelo Finger.

Amora relatou ao Jornal Comunidade que vai encaminhar a desfiliação no Cartório Eleitoral nos próximos dias. "A decisão está tomada, cansei da turbulência interna e prefiro sair. Eu que convidei o Marcelo para ser vice-presidente, mas no decorrer do tempo acabamos não concordando em algumas situações, então vou abrir mão da presidência e deixarei a sigla", explica. "Entendo que um partido, um grupo político, não se constrói com turbulência, mas sim, com diálogo, aproximando pessoas e isso não estava acontecendo", lamenta.

Ronaldo também destaca que ficou por quase um ano na presidência e diz que neste tempo tentou construir um projeto de crescimento para o PSL. Ele afirma que havia possibilidades do partido concorrer à próxima eleição em Piratuba com candidato na majoritária e com nomes para o Legislativo. Amora diz ainda, que acredita que as chances disso acontecer agora são muito pequenas. "Nós tínhamos um projeto grande pro PSL, teríamos candidato a prefeito e com chance de ganhar a eleição. Já tínhamos fortes nomes pra concorrer à Câmara de vereadores. Trabalhamos na eleição Estadual e os votos do PSL em Piratuba apareceram nas urnas", registra. "Creio que da forma que o partido será conduzido agora em Piratuba, a tendência é acabar. Acredito que o PSL não vai ter candidato a prefeito no pleito do ano que vem, e pela nova conjuntura das coligações dos partidos, também não deve eleger nenhum vereador", prevê ele.

Amora finaliza agradecendo o apoio que teve durante a gestão e diz que não leva mágoas, mas afirma que mesmo sem estar em outra sigla ainda, leva alguns filiados com ele. "Mesmo de saída continuo acreditando integralmente no nosso presidente Jair Bolsonaro e em nosso governador Carlos Moises. Preciso agradecer as pessoas que se filiaram e as que votaram 17 na última eleição. Aos que estiveram comigo construindo o partido, como minha esposa e amigos. Não tenho nada contra o vice-presidente, não sou inimigo, mas agora somos adversários políticos. Ainda não me filiei a nenhum partido, mas recebi convites, afinal o pessoal percebia a turbulência no PSL. Adianto que algumas pessoas que filiei, também estão saindo da sigla", concluiu Ronaldo.

Cristiano Mortari/ Jornal Comunidade

Outras Notícias

Congresso mantém veto à volta da propaganda partidária

O Congresso Nacional decidiu nesta terça-feira (3) manter o veto do presidente Jair Bolsonaro a 33 trechos de uma pro...

PSL busca guinada política após saída de Bolsonaro

Abrigo da família Bolsonaro nas eleições do ano passado, o PSL prepara um reposicionamento político e estratégico apó...

Congresso rejeita veto à ampliação de fundo eleitoral

O Congresso derrubou nesta quarta-feira, 27, sete vetos do presidente Jair Bolsonaro à minirreforma eleitoral, inclui...

PSL-SC passa por mudanças em sua executiva

Em sua primeira reunião de trabalho, realizada na última sexta-feira (22), a nova executiva estadual do Partido Socia...