« Voltar Justiça anula nomeação de servidora que não tinha habilitação para auxiliar dentista

A 1ª Câmara de Direito Público do TJ confirmou sentença de comarca do oeste catarinense que determinou a nulidade de portaria responsável pela nomeação de pessoa não habilitada para o exercício de cargo, ainda que admitida através de concurso público. No caso em discussão, a candidata obteve o primeiro lugar na disputa por cargo efetivo de auxiliar de consultório dentário e foi nomeada pelo município.

O Ministério Público, contudo, detectou a inexistência de registro no Conselho Federal e no Conselho Regional de Odontologia, conforme exigido pela legislação federal que regula a matéria. Em apelação, a servidora alegou que o edital do concurso não previa tal exigência e que, inobstante o nome do cargo, não desenvolveria atividades de caráter técnico mas meramente administrativo.

A câmara ratificou a decisão de 1º grau ao entender que o pressuposto estabelecido pela legislação federal se sobrepõe a qualquer abrandamento insculpido em norma de âmbito municipal, até porque a natureza técnica ou científica se constata pelas atribuições do cargo, o qual demanda habilidade ou formação técnica específica mesmo que o concurso público de ingresso não tenha exigido conclusão de determinado curso técnico ou científico. O desembargador Luiz Fernando Boller foi o relator da apelação, em decisão adotada de forma unânime

TJSC/A.M

Outras Notícias

Bolsonaro alcança 28,2% e Haddad se isola em segundo, com 17,6%, aponta CNT/MDA

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, ampliou sua vantagem na liderança da corrida eleitoral...

Dono da Havan é multado por patrocinar propaganda de Bolsonaro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) multou, na sessão desta quinta-feira (13), o empresário Luciano Hang em R$ 10 mil...

Beto Richa deixa prisão no Paraná

O ex-governador do Paraná, Beto Richa, deixou a prisão no início da madrugada de hoje (15). Ele foi preso na manhã de...

Tribunal mantém indisponibilidade de bens de agente público por prática de nepotismo

A 3ª Câmara de Direito Público do TJ, por maioria de votos, manteve decisão de primeiro grau de uma comarca do sul do...