Recuperado do câncer, João Victor leva mensagem de apoio a menino com doença rara

Família faz campanha para arrecadar R$ 6 milhões para irmãos João Vitor e Miguel; ambos têm AME.

Em clima de Natal, João Victor Loch, que venceu o câncer e ficou conhecido ao receber transplante de uma mulher que perdeu 27 quilos para doar parte do fígado, foi conhecer e levar uma mensagem de apoio para João Vitor Schlemmer de Amorim, que sofre uma doença degenerativa rara. O Jornal do Almoço desta segunda-feira (25) mostrou o encontro.

"Vim trazer para você amor e carinho. Amigão, tudo vai ficar bem", falou João Victor, aos 8 anos, ao novo colega, de 5 anos.

Morador de Florianópolis, João Vitor é portador de Atrofia Medular Espinhal (AME) tipo 1: uma doença degenerativa que prejudica movimentos e respiração e pode levar à morte se não tratada a tempo.

Recentemente, a família descobriu que Miguel, irmão mais novo do João, de 4 meses, tem a mesma doença.

A campanha "Ame João Vitor", que busca arrecadar cerca de R$ 3 milhões para comprar o medicamento Spinraza que faz com que a doença se estabilize, agora vai precisar de R$ 6 milhões, para salvar também o Miguel.

"Sonhei que eu tava tomando Spinraza. Depois eu fiquei em pé", conta o menino.

Se o bebê receber logo o remédio, ele tem chances de ter uma vida normal.


Fonte: G1
A.M

Outras Notícias

Taxa de fecundidade no Brasil é a menor do mundo

As brasileiras estão tendo cada vez menos filhos, segundo o relatório Situação da População Mundial, produzido anualm...

Crianças que frequentam creches podem ter melhor desenvolvimento psicológico

Segundo pesquisadores franceses, frequentar a creche na primeira infância também pode proporcionar melhores habilidad...

Mulher entra em trabalho de parto e bebê nasce no banheiro

Os bombeiros de Blumenau foram acionados às 6h40 deste domingo, 14, para um parto emergencial. Chegando à casa, que f...

Pacientes do hospital de Xanxerê recebem sessões de música

A música está ligada a diferentes momentos de nossa vida, mesmo que nem sempre nos damos conta disso. É mais fácil pe...