Foto: Nilson Bastian/Câmara/ND

Primeira Turma do STF mantém condenação do deputado federal João Rodrigues

Por quatro votos a um a Primeira Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) manteve a condenação do deputado federal João Rodrigues (PSD) a cinco anos e quatro meses de prisão, em regime semiaberto, por licitação irregular para a compra de uma retroescavadeira em 1999, quando era prefeito em exercício de Pinhalzinho, no Oeste de Santa Catarina. A votação aconteceu nesta terça-feira (6). Ele foi julgado em 2009 pelo TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), em Porto Alegre, onde foi condenado em segunda instância.

A defesa de Rodrigues informou que irá ingressar com embargos de declaração. “O processo prescreveu em 18 de dezembro de 2017, mas de acordo com o STF isso só acontecerá em 18 de fevereiro deste ano”, explica o advogado do deputado, Marlon Bertol, que acredita que o caso será arquivado.

Segundo Ney Bueno, assessor de João Rodrigues, o deputado, que estava em férias com a família nos Estados Unidos, não esperava que a condenação fosse mantida e deve retornar para Santa Catarina nesta quarta-feira, quando possivelmente irá se posicionar sobre a decisão. “Levamos como uma surpresa esse resultado. Agora, vamos esperar”, lamentou Bueno.

Após a confirmação da condenação, os ministros também determinaram execução da prisão de Rodrigues. Esta foi a primeira vez que o ministro Alexandre de Moraes votou a favor da prisão após segunda instância.

Fonte: ND online

Outras Notícias

Bolsonaro alcança 28,2% e Haddad se isola em segundo, com 17,6%, aponta CNT/MDA

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, ampliou sua vantagem na liderança da corrida eleitoral...

Dono da Havan é multado por patrocinar propaganda de Bolsonaro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) multou, na sessão desta quinta-feira (13), o empresário Luciano Hang em R$ 10 mil...

Beto Richa deixa prisão no Paraná

O ex-governador do Paraná, Beto Richa, deixou a prisão no início da madrugada de hoje (15). Ele foi preso na manhã de...

Tribunal mantém indisponibilidade de bens de agente público por prática de nepotismo

A 3ª Câmara de Direito Público do TJ, por maioria de votos, manteve decisão de primeiro grau de uma comarca do sul do...