Tribunal não se manifesta e frustra liberação de Guerrero

O silêncio do relator do Tribunal Federal Suíço frustrou a expectativa do Inter de contar com a liberação de Paolo Guerrero nesta terça-feira (25). Com o início da noite no país Europeu, a esperança dos advogados do peruano segue para os próximos dias.
Julio Garcia disse que já não espera para as próximas horas qualquer que seja a manifestação do Tribunal. Guerrero segue punido por doping e alijado de participar até de treinamentos com o Colorado.

No Peru, o jogador espera a resposta sobre a tentativa de efeito suspensivo, que o autorize a retomar a rotina de atleta até o julgamento do recurso apresentado por sua defesa na Corte Arbitral do Esporte (CAS). O material será analisado em outubro.

O expediente de trabalho do Tribunal Federal da Suíça venceu às 13h (horário de Brasília), 18h (horário de Zurique). Desta forma, e sem um prazo determinado, a defesa do atleta segue compasso de espera.
Entenda o caso

Guerrero foi julgado e punido pela Fifa com um ano de afastamento por conta de um teste positivo de doping para substância benzoilecgonina, principal metabólico da cocaína e da folha de coca. O exame foi feito após a partida entre Peru e Argentina em Buenos Aires, válida pelas Eliminatórias para Copa do Mundo, disputada em outubro de 2017.
Em seguida, entrou com recurso por meio do Comitê de Apelações da entidade e reduziu a pena, em um primeiro momento, para seis meses. Em maio, porém, o caso foi à Corte Arbitral do Esporte (CAS), que aplicou 14 meses de suspensão. Guerrero foi buscar seus direitos além do âmbito esportivo e conseguiu efeito suspensivo no Tribunal Federal Suíço no fim do mesmo mês.

Com a liberação provisória, atuou pelo Peru na Copa do Mundo e, desde o regresso do Mundial, jogou mais quatro partidas pelo Flamengo. Em seguida, foi contratado pelo Internacional e tinha estreia marcada para o jogo contra o Palmeiras. No entanto, viu cair a liminar que o liberava para atuar e voltou a estar proibido de qualquer atividade como profissional do futebol.

O vínculo de Guerrero está, desde então, suspenso. Sem pagar salários, como previsto no acordo, o Internacional ainda poderá ampliar o contrato do atleta em tempo correspondente ao período de afastamento.
Com a punição em vigor, o centroavante só poderá voltar jogar ou mesmo treinar utilizando a estrutura do clube em abril de 2019. O objetivo, porém, é reverter o quadro e liberá-lo para atuar ainda neste ano.


Fonte: UOL / Esportes
A.M

Outras Notícias

Chapecoense perde de virada para o Fortaleza

A Chapecoense perdeu de virada por 3 a 1 para o Fortaleza, neste domingo, na Arena Condá, e fica próximo da zona de r...

AEP Termas de Piratuba Futsal vence em casa pela Liga Catarinense

O time do técnico Fininho conquistou três pontos na Liga Catarinense de Futsal na noite de sábado, dia 11, em Piratub...

Avaí bate a Chape nos pênaltis e é campeão do Catarinense 2019

O Avaí é o campeão do Campeonato Catarinense 2019 depois de vencer a Chapecoense nos pênaltis neste domingo (21). No ...

Levir Culpi é demitido pelo Atlético-MG às vésperas de final diante do Cruzeiro

O técnico Levir Culpi não resistiu no cargo após a goleada do Atlético-MG para o Cerro Porteño, no Paraguai. Depois d...