Consumo de energia em Santa Catarina teve três recordes em 36 dias

Celesc alerta que não há erro na conta de luz, mas aumento de consumo no Estado

A conta de luz de janeiro tem chegado nas casas dos catarinenses com valores bem maiores do que a média do ano. Isso levou muitos clientes da Celesc, a companhia distribuidora de energia do Estado, a reclamar do custo maior e suspeitar até de erro na leitura de consumo.

Por isso, a Celesc divulgou na sexta-feira, 18, um comunicado oficial explicando que as contas subiram pelo maior uso de energia, especialmente com ar-condicionado, em função dos recordes de temperatura.

LEIA A NOTA NA ÍNTEGRA

Em relação às manifestações de consumidores sobre a fatura de energia emitida neste mês de janeiro/2019, a Celesc informa que não houve cobrança adicional ou erro no processamento de dados no faturamento da Empresa.


O aumento na conta de luz para muitos clientes se deve, em grande parte, ao maior consumo de energia registrado nos últimos meses, especialmente pelo uso de equipamentos elétricos, como ar-condicionado e motores de piscina, em períodos de temperatura elevada. Esse avanço é confirmado, inclusive, pelos elevados índices na demanda de energia registrados pela Celesc nas últimas semanas.


Desde dezembro, o recorde foi batido três vezes, em três dias seguidos – 15 de janeiro (4.875MW, 16 de janeiro (4.989,82 MW) e 17 de janeiro (5.030MW). A Celesc reitera que a tarifa de energia elétrica da companhia não é reajustada desde agosto/2018 e orienta que os clientes confiram atentamente o histórico de consumo e o período de apuração da leitura na fatura recebida.
AR-CONDICIONADO

Muitas famílias compraram ar-condicionado nos últimos anos. Mas para gastar menos, precisam racionalizar o uso ou trocar por um mais moderno, aconselha a Celesc. Isto porque o ar é o aparelho que mais gasta energia. O Proteste informa que um aparelho antigo de 7.500 BTUs que fica ligado oito horas por noite gasta R$ 169,92 de luz por mês. Já um aparelho moderno Split, também com 7.500 BTUs e as mesmas horas de uso gasta apenas R$ 65,61 por mês. Isto significa que em 10 meses de economia na conta é possível pagar o aparelho novo.


RECORDE

Santa Catarina bateu o recorde de demanda de energia elétrica três vezes nesta temporada. Na quarta-feira, 16, às 15h, foi atingido o maior consumo da história: 4.989 megawatts (MW). O dia anterior, terça-feira, 15, tinha sido o ápice até então (4.875 MW), superando a marca de 4.828 MW em 12 de dezembro de 2018.


O número da quarta-feira supera em 3,4% o valor de dezembro. O recorde antes destes, 4.760MW, havia sido registrado em fevereiro de 2017.


O recorde é atribuído principalmente ao forte calor e o consequente uso do ar-condicionado em unidades residenciais e comerciais.


OSCILAÇÕES

O alto consumo de energia tem causado oscilações no fornecimento de energia. Em Canoinhas, no centro, uma usuária relatou que teve sua geladeira queimada por causa das oscilações em dezembro.

J.MAIS
A.M



Outras Notícias

Comissão aprova salário mínimo de R$ 1.040 para 2020

A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou nesta quinta-feira (8), a Lei de Diretrizes Orçamen...

Deputados devem votar destaques da Previdência nesta quarta

Com a aprovação em segundo turno da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, os parlamentares devem votar os d...

Veja o calendário de saques do FGTS divulgado pela Caixa

A Caixa Econômica Federal (CEF) informou nesta segunda-feira (5) o calendário de saques do Fundo de Garantia do Tempo...

CAIXA PROMOVE REDUÇÃO DE ATÉ 40% NAS TAXAS DE JUROS

A partir desta quinta-feira (1), a CAIXA passa a oferecer taxas de juros ainda mais acessíveis em algumas de suas pri...