Tecnologia e inovação adotadas pela BRF reduz de forma significativa o consumo de energia elétrica e água

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, tem em Londrina (PR) um Centro de Distribuição (CD) que espelha os esforços da Companhia para cumprir seus compromissos com a sustentabilidade. O CD, em atividade há pouco mais de um ano, se consolida como referência em uso de tecnologia e inovação em uma cadeia sustentável. Os resultados são expressivos: o Centro de Distribuição encerrou o primeiro trimestre de 2021 com uma economia de 20% no consumo de energia e o reaproveitamento de mais de 2 milhões de litros de água, com tecnologia inovadora no uso de recursos naturais, inclusive da chuva.

Com uma movimentação média de 20 mil toneladas de alimentos por mês, o CD distribui produtos para municípios do Paraná, de São Paulo e do Centro-Oeste. O uso da tecnologia no complexo logístico integra ações da BRF para cumprir compromissos de sustentabilidade estabelecidos em seu Plano Visão 2030, que inclui aumentar a autoprodução de energia elétrica proveniente de fontes limpas e reduzir o consumo de água.

“A BRF é uma empresa sustentável, preservar o meio ambiente e ser ecoeficiente é nosso compromisso”, diz Mariana Modesto, diretora de Sustentabilidade da BRF. “Estamos permanentemente trabalhando para inovar e encontrar soluções sustentáveis para os desafios que se apresentam em nossa atividade.”

A água residual da movimentação no CD de Londrina, depois de tratada, é usada para o sistema de refrigeração dos produtos armazenados no local. O prédio tem estrutura no telhado para captar a chuva, usada na reposição de água de condensadores. A sustentabilidade também está nos detalhes. A economia de água está presente no paisagismo do complexo, que adotou espécies vegetais adaptadas ao clima do norte paranaense, dispensando a irrigação.

A economia no consumo de energia elétrica se deve à eficiência dos sistemas de ar-condicionado, refrigeração e luminárias. O CD usa aquecimento solar para a água destinada aos chuveiros dos vestiários, e o calor proveniente do resfriamento do óleo de compressores descongela equipamentos e aquece o piso da câmara de congelados.

Até o piso tem uma contribuição relevante na concepção sustentável, inclusive é premiado por isso no principal ranking de concreto horizontal: em 2020, o CD de Londrina recebeu o Golden Trowel Award, em Las Vegas, na categoria piso mais plano do mundo. A planicidade do piso significa mais eficácia na movimentação das empilhadeiras, sem trepidações, o que reduz os custos de manutenção, traz ganhos de produtividade, mais rapidez e segurança à operação.

Claudio Thomas

Outras Notícias

Mais de 99 mil catarinenses ainda não compareceram aos postos de saúde para completar o ciclo vacinal contra o coronavírus

O ciclo vacinal de duas doses contra o novo coronavírus ainda não é realidade para 99 mil catarinenses. Esse é o tota...

PL pode colocar regras mais rígidas para empréstimos consignados em SC

A realização de empréstimos consignados para aposentados ou pensionistas em SC se transformou em tema de mais um Proj...

Governo do Estado estuda realização de quatro eventos-teste em SC

A realização de quatro eventos-teste para julho e agosto foi debatido em reunião na quarta-feira (16), entre o Govern...

Facisc apoia debate sobre reforma tributária no próximo dia 25 de junho, em Itajaí

A advogada tributarista Kelly Gerbiany Martarello, atual diretora tributária da Associação Empresarial de Itajaí (ACI...