Caixa e Ministério da Cidadania começam o pagamento da sexta parcela do auxílio emergencial

A sexta parcela do Auxílio Emergencial 2021 começou a ser paga para o público do Bolsa Família nesta sexta-feira (17.09), juntamente com os demais beneficiários do programa de transferência de renda cujo Número de Identificação Social (NIS) tenha final 1. Os pagamentos de setembro seguem até o dia 30.

Neste mês, 9,45 milhões de trabalhadores que fazem parte do Programa Bolsa Família (PBF) serão beneficiados com o Auxílio Emergencial 2021. Para esse grupo, o valor total da folha de pagamentos é de mais de R$ 2,83 bilhões, com benefício médio de R$ 306,67.

Outras 5,4 milhões de famílias não foram consideradas elegíveis a receber o Auxílio Emergencial em setembro e receberão o benefício do Bolsa Família pelo valor correspondente do programa de transferência de renda. Para elas, o valor médio da parcela é de R$ 233,94, totalizando um investimento de R$ 1,26 bilhão no mês.

Ao todo, 14,65 milhões de famílias receberão os recursos do PBF ou do Auxílio Emergencial, em um investimento de R$ 4,1 bilhões. "O Bolsa Família cumpre seu papel de manter uma renda básica para as pessoas mais necessitadas e, agora, elas terão a possibilidade de trilhar caminhos de emancipação, com o novo programa do Governo Federal, o Auxílio Brasil", destacou João Roma, ministro da Cidadania.

A maior parte dos beneficiários do AE 2021 (mais de 50%) são mulheres chefes de família, sendo que cada uma recebe, por mês, o valor de R$ 375. Os contemplados com o valor padrão de R$ 250 representam 33,4% da folha. Outras 15,7% das famílias são unipessoais, com cada indivíduo recebendo R$ 150.

O Auxílio Emergencial 2021 é pago a famílias beneficiárias do PBF desde que existam membros que atendam aos critérios de elegibilidade, e que o valor do auxílio seja mais vantajoso que o valor a ser recebido em benefícios do programa de transferência de renda.

Prorrogação

Originalmente planejado para ter quatro parcelas, o Auxílio Emergencial 2021 foi prorrogado por outros três meses, com parcelas em agosto, setembro e outubro, por meio do Decreto nº 10.740. A sexta etapa de transferências começa na terça-feira (21.09) para os aniversariantes de janeiro.

Para custear os gastos dessa prorrogação, o Governo Federal abriu crédito extraordinário de R$ 20,27 bilhões em favor do Ministério da Cidadania por meio da Medida Provisória nº 1.056.

Com as quatro etapas de pagamentos já realizadas até o momento, o investimento do Governo Federal superou R$ 40,5 bilhões, incluindo todos os públicos: meios digitais, CadÚnico e Bolsa Família. São 39,4 milhões de pessoas elegíveis.

Após o pagamento da prorrogação do Auxílio Emergencial 2021, começará a ser pago, em novembro, o Auxílio Brasil, novo programa do Governo Federal que integra várias políticas públicas de assistência social, saúde, educação, emprego e renda. A Medida Provisória nº 1.061 foi entregue ao Congresso Nacional no dia 9 de agosto.

Ministério da Cidadania

Outras Notícias

Direitos do consumidor: dicas para se preparar para a Black Friday

Apesar da recessão e queda no varejo, alguns setores têm superado a crise econômica e tiveram crescimentos exponencia...

BRF abre vagas na planta de Concórdia; Piratubenses e Ipirenses podem aproveitar as oportunidades

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, abriu um processo de recrutamento para a unidade de Concórdi...

Mercado de trabalho em SC tem adição de 17,8 mil novas vagas em setembro

Os dados do Ministério da Economia sobre a geração de empregos em setembro voltaram a colocar Santa Catarina em posiç...

Comunidades do oeste catarinense serão beneficiadas com projetos do Instituto BRF

O Instituto BRF, associação privada que direciona estrategicamente os investimentos sociais da Companhia, finalizou a...