Nascimento de criança com Síndrome de Down terá que ser notificado em SC

Os hospitais públicos e privados no Estado de Santa Catarina estão obrigados, a partir deste ano, a notificarem as entidades e associações especializadas cada vez que acontecer o nascimento de uma criança com Síndrome de Down. Isto porque ainda não se conhece com certeza o número de pessoas portadoras desta síndrome existente no Brasil, o que compromete o desenvolvimento de políticas públicas e programas específicos para esta população. Até agora os casos eram subnotificados.

Em dezembro, a Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Lei 191/18, de autoria do deputado Zé Milton, que institui a obrigatoriedade do registro por parte de todos os hospitais. Eles devem informar os novos casos de SD às entidades e associações especializadas que desenvolvem atividades com as pessoas deficientes. O parlamentar explica que para que sejam organizadas as estratégias de efetivação dos direitos de cidadania das pessoas com Síndrome de Down, é fundamental que se tenha informações de quantas elas ão, onde vivem e quais as suas faixas etárias.

“Hoje no Brasil trabalhamos com estimativas, e se não houver informações mais precisas, os programas governamentais não irão atender as necessidades reais, e por isso já surgirão comprometidos em sua eficácia”, defendeu o deputado. Outra vantagem da notificação compulsória nos hospitais é o fato de que ao informar o nascimento de uma criança com Síndrome de Down haverá a garantia, desde cedo, do apoio e acompanhamento do Estado e das entidades especializadas, por meio de suas equipes multiprofissionais, estimulando o potencial da criança com necessidades especiais.

"Quando falamos da inclusão, falamos de autonomia, que é algo que considero fundamental. Infelizmente, muitas das pessoas com SD são tratadas eternamente como crianças, como se elas não crescessem, não se tornassem jovens, adultos e idosos. Precisamos repassar informações e dar atenção a essas famílias desde os primeiros dias de vida de uma criança com SD, para vencermos esta primeira barreira", comenta a presidente da Associação Amigo Down, Vivian Senra.

Fonte: NSC / Viviane Bevilacqua
A.M

Outras Notícias

Ministro do Supremo suspende acordo da Lava Jato com os EUA

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes decidiu hoje suspender o acordo feito entre a força-...

Aposta única do RS leva R$ 78,9 milhões na Mega-Sena

Tem novo milionário no Rio Grande do Sul. Uma aposta feita em Gravataí, na região Metropolitana de Porto Alegre, ganh...

Escola de Sargento das Armas publica edital de concurso para 1.100 vagas

A Escola de Sargento de Armas (ESA) publicou edital nesta terça-feira, 19, com 1.100 vagas no curso de formação de sa...

Aposta única do RJ acerta as seis dezenas e fatura R$ 24,6 milhões

Uma aposta do Rio de Janeiro levou sozinha o prêmio de R$ 24.666.686,76 do concurso 2.121 da Mega-Sena, realizado na ...