Parlamentares e entidades haviam criticado a medida, anunciada pelo presidente com o objetivo de 'preservar empregos' durante a crise do coronavírus.

Bolsonaro revoga trecho de MP que previa suspender contratos e salários

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (23) que revogou o trecho da medida provisória que previa, como combate aos efeitos da pandemia do coronavírus na economia, a suspensão dos contratos de trabalho por 4 meses.

A medida foi publicada pelo governo nesta segunda no "Diário Oficial da União". O trecho revogado pelo presidente é o artigo 18.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), partidos políticos e entidades já haviam se manifestado contra pontos da MP editada pelo governo e defenderam aperfeiçoamento do texto.
"Determinei a revogação do art.18 da MP 927, que permitia a suspensão do contrato de trabalho por até 4 meses sem salário", escreveu Bolsonaro em uma rede social.

Uma medida provisória, assim que assinada pelo presidente, passa a valer como lei. Em no máximo 120 dias, precisa ser aprovada pelo Congresso, senão perde a validade.

Os outros pontos que não foram revogados pelo presidente seguirão para a análise de deputados e senadores.
A.M
Fonte: G1

Outras Notícias

Governo avalia flexibilizar cumprimento de 200 dias letivos

O governo federal avalia editar uma medida provisória para desobrigar as escolas a cumprirem 200 dias letivos em 2020...

Constituição Federal X CLT: Redução de salário por motivo de força maior

A MP 927/2020 tem o cuidado de dispor logo na entrada de sua redação estar tratando de uma situação de calamidade púb...

Ministro lista caminhos para recebimento do pagamento de R$ 600, mas reforça:

A operação para pagamento dos R$ 600 a trabalhadores informais, microempreendedores individuais e desempregados está ...

Instituto TIM oferece TIM Tec: cursos online e gratuitos para quem quer estudar em casa

O mundo vive um momento de isolamento social para combater a transmissão do novo coronavírus. Para ajudar aqueles que...